Maria das Dores Vieira dos Santos, 68 anos, com a equipe do HMDCC 

Ontem foi dia de Dona Maria passear!

Há dois meses internada no Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro (HMDCC) ela teve que se despedir da companheira de quarto com quem desenvolveu um relacionamento próximo, afetuoso e de cumplicidade.

“A gente notou que a Dona Maria estava triste, mais para baixo e queríamos vê-la feliz de novo. Ela é uma paciente gostosa de cuidar, ela é muito alegre”, conta a médica Armanda Resende.

Foi então que surgiu a ideia de levar Dona Maria, 68 anos, para ver o sol, tomar um ventinho no rosto, sentir o dia lá fora no espaço de convivência do HMDCC. A médica Armanda consultou o colega de equipe, o fisioterapeuta Cycero Eduardo da Silva, por que Dona Maria está em ventilação mecânica, ou seja, além da traqueostomia, ela precisa que uma máquina ajude-a a respirar. Sim, seria possível promover o passeio!

Com tudo organizado para garantir a segurança da paciente, surgiu, digamos, um novo desafio…

Muita gente queria acompanhar Dona Maria no passeio! E foram todos: médica, fisioterapeuta, psicólogo, professora de enfermagem e estudantes, acadêmico de medicina. Animada, a turma estava a postos para auxiliar no que fosse preciso.

O tempo para espairecer não poderia ter sido melhor descrito: “parece que eu viajei, parece que fui para praia”, disse Dona Maria.

Quem participou conta que o programa foi “tão feliz”, que teve até sessão de fotos, já que a paciente fazia questão de registrar o momento. “Minha mãe ficou mais tranquila. Ela não estava dormindo bem e, nesta noite, teve um sono sossegado”, diz Ecimar dos Santos Meira, filha da paciente que também estava presente.

Para a equipe, o retorno da ação foi encantador. A médica Armanda Resende explica que o passeio foi um ato terapêutico, que integrou o tratamento, porque Dona Maria deu sinais de que precisava sair do quarto pois está há muito tempo internada.