Primeira turma da Residência Médica do Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro (Foto: Álvaro Miranda)

O Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão promoveu nesta sexta-feira, 21 de agosto, a estreia do projeto “Café com residentes”, cujo objetivo foi dar boas vindas à primeira turma da Residência Médica do Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro (HMDCC). Apesar de estarem atuando no HMDCC desde março de 2020, o encontro precisou ser adiado em razão da pandemia de COVID-19.

Coordenador da Comissão de Residência Médica, Pedro Ledic abriu o evento falando do orgulho do hospital em ter conquistado a residência própria e do desejo de fortalecimento da cultura do ensino na instituição. “Que vocês se sintam em casa e parte importante da assistência ao paciente”, disse.

Em seguida, a diretora assistencial, de ensino e pesquisa, Yara Barbosa, falou da honra que é o HMDCC já ter uma residência própria, considerando o seu pouco tempo de existência. “Acreditamos que o ensino não existe longe da assistência e valorizamos o aprender fazendo. Esta é uma experiência que está começando e vocês, como primeira turma, têm um papel importante na construção da identidade que essa residência terá daqui para frente”, afirmou.

Diretor administrativo-financeiro, Mauro Heleno lembrou da importância em o aprendizado técnico estar vinculado ao cuidado humanizado e centrado no usuário, valores do HMDCC.

Diretora executiva, Maria do Carmo reforçou que o ensino está na missão da instituição e ressaltou que, a despeito da excelente estrutura física e das condições de trabalho que o HMDCC proporciona, que o paciente bem cuidado seja a força propulsora que mobilize a experiência da residência na instituição. “Queremos formar vocês para isso, para o cuidar com excelência e com consciência do papel do médico na sociedade e de vocês enquanto cidadãos”.

Residente da clínica médica, Júlia Fonseca da Costa falou em nome da turma, composta por quatro residentes da clínica médica e quatro da cirurgia geral. “Acredito que falo por todos aqui: é muito bom ser residente do SUS em um hospital como este, em que o preceptor está ao lado da gente e disponível para esclarecer dúvidas, inclusive à noite por WhatsApp”, brincou.

A médica residente ressaltou ainda que “mesmo com a pandemia de COVID-19, mantivemos um bom aprendizado e sentimos a preocupação do hospital conosco. Tenho muito a agradecer e a querer construir uma residência de qualidade no HMDCC. Daqui a 10 anos, seremos a melhor Residência Médica de Minas”, finalizou.

Também participaram do evento gerentes e coordenadores das linhas de cuidado ao paciente clínico, crítico e cirúrgico, a assessoria jurídica e a assessoria de comunicação.

  • Primeira turma da Residência Médica do Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro (Foto: Álvaro Miranda)