Mais de 300 pessoas participaram do evento que contou com a participação de 25 profissionais do Hospital Célio de Castro: médicos neurologistas, enfermeiros e técnicos de enfermagem, nutricionista, fonoaudióloga, terapeuta ocupacional e fisioterapeuta (Foto: Álvaro Miranda)

A semana no Centro Esportivo Milionários, no Barreiro, começou diferente, com um encontro entre profissionais de saúde do Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro (HMDCC) e a comunidade. Depois da tradicional aula de lian gong que reúne centenas de praticantes toda segunda-feira no local, uma ação de promoção de saúde foi palco para uma boa conversa sobre a doença que mais mata a população brasileira adulta: o acidente vascular cerebral (AVC).

Celebrado em 29 de outubro, o Dia Mundial de Combate ao AVC foi o mote do encontro para abordar com a população informações sobre autocuidado, sinais e sintomas da doença. A Diretora de Assistência à Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte (SMSA-BH), Renata Mascarenhas parabenizou a iniciativa do Hospital em parceria com a Regional de Saúde do Barreiro: “É muito precioso quando uma equipe de saúde de um Hospital se dispõe a se deslocar do local de trabalho para conversar com a população. É um formato inovador de assistência em saúde quando o cuidado se dá fora dos muros do Hospital e acontece em um ambiente informal em que o foco não é curar ou melhorar uma condição clínica, mas sim, a promoção de saúde e prevenção de doenças”.

Diretora executiva do HMDCC, Maria do Carmo, lembrou, na abertura do evento, que a UPA Barreiro é a segunda maior procedência de internações no Hospital para situações de urgência e, que considerando todas as UPAs da capital mineira, a do Barreiro é a primeira procedência para exames externos de urgência.

  • Equipe da Unidade de AVC reunida para o evento do Dia Mundial de Combate ao AVC no Centro Esportivo Milionários. (Foto: Álvaro Miranda)

Falando sobre AVC
Mais de 300 pessoas participaram do evento que contou com a participação de 25 profissionais do Hospital Célio de Castro: médicos neurologistas, enfermeiros e técnicos de enfermagem, nutricionista, fonoaudióloga, terapeuta ocupacional e fisioterapeuta.

Com formato descontraído e linguagem simples, o “aulão” do AVC foi um sucesso com oportunidade para o esclarecimento de dúvidas e mitos em relação à doença. O neurologista do HMDCC, Álvaro Costa, explicou a diferença entre o AVC isquêmico e hemorrágico, falou sobre quais são e a importância de se reconhecer os sinais da doença e explicou por que o AVC é considerado uma doença tempo-dependente. Ou seja, quanto mais rápido o tratamento, maior a chance de sobrevida ou recuperação completa.

A nutricionista Priscila Espeschit esclareceu quais são os fatores de risco modificáveis e não modificáveis do AVC e abordou o impacto de uma alimentação saudável para a prevenção da doença.

Atrações
Além do “aulão”, o evento ‘Falando Sobre AVC’ disponibilizou quatro estações temáticas em que os profissionais de saúde do HMDCC e da Regional de Saúde do Barreiro abordaram os principais fatores de risco da doença: hipertensão arterial (com o serviço de aferição da pressão), diabetes (com teste de glicemia), tabagismo (apresentação do programa para parar de fumar do SUS-BH) e o Riscômetro do AVC (teste para reconhecer o risco da doença).

Para finalizar o encontro em alto-astral, os educadores físicos da Academia da Cidade do Bairro Milionários, Marcos Paulo Soares e Rodrigo Paixão, promoveram uma aula aeróbica motivacional em que comunidade e profissionais dançaram ao som de Mambo Number 5, de Lou Bega.